O que é a Web 3.0 – e por que ela é tão importante

 / 24.11.2021

Ao longo dos últimos meses alguns termos ganharam a mídia: NFTs, Metaverso e Web 3.0. Sobre os dois primeiros, já discuti em artigos anteriores. Hoje, gostaria de abordar a tal da Web 3.0.

Muito mais do que uma palavra da moda, este pode ser um dos conceitos de tecnologia mais importantes desta década.

Se existe uma Web 3.0, é importante, então, definirmos as duas Web’s anteriores.

A Web 1.0 tinha como principais conceitos as páginas estáticas, o nascimento dos primeiros e-commerces e acesso por navegadores através de desktops. Ela também marcou o nascimento (ou amplo crescimento) de empresas como Amazon, Apple e Netscape e foi a responsável por trazer milhões de pessoas para dentro deste novo universo chamado Internet, 3 décadas atrás ainda um conceito difícil de entender para muita gente.

A Web 2.0 começou a nascer entre 1999 e 2004. Assim como a Web 1.0 (Página Estáticas; E-commerces; Navegadores e Desktops), a Web 2.0 teve 3 grandes pilares para seu nascimento e crescimento: Redes Sociais; Mobile; Computação em Nuvem.

As Redes Sociais trouxeram um nível de interação entre usuários inimaginável na Web 2.0. A revolução mobile fez com que passássemos a carregar computadores em nossos bolsos, aumentando imensamente nosso tempo de conectividade. Por fim, a Computação em Nuvem simplificou e escalou a criação, desenvolvimento e manutenção de aplicações. Aqui, redes sociais como Facebook, YouTube e Instagram; plataformas como App Store e Play Store; e gigantes da nuvem como Amazon Web Services dominam o mercado.

Estamos entrando, então, na próxima fronteira da Internet. Esta, assim como as duas anteriores, possui 3 características: Aberta; Confiável; Permissionless.

  • O “Aberta” significa que a Web 3.0 está sendo construída a partir de softwares de código aberto, criados por comunidades abertas de desenvolvedores. Tecnologias como Bitcoin e Ethereum, por exemplo, foram construídas com códigos abertos.
  • A Web 3.0 é “Confíavel” no sentido de que a própria rede é auditável e permite que os usuários interajam da forma como quiserem – de forma pública ou privada.
  • Permissionless significa que os usuários poderão participar das novas plataformas e usar os novos protocolos sem precisar de autorização para tal.

Tudo isso pode soar um pouco abstrato demais, mas já está acontecendo. Na maioria das aplicações, longe dos holofotes, no que chamei de “Revoluções Silenciosas” em artigos anteriores. Ainda existe muito ruído, é claro, mas os protocolos e empresas que irão dominar o cenário digital daqui a 10 anos estão sendo construídos neste exato momento. Se você quer fazer parte disso, comece a ler sobre Blockchain, NFTs, cripto, DAOs (Decentralized Autonomous Organizations) e já estará à frente de praticamente todo mundo. A Web 3.0 já está aqui e vai ganhar cada vez mais espaço.

Ver Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Allan Costa
(41) 99878-5055
contato@allancosta.com