De pai para filho: porque iremos para a rua amanhã

 / 04.06.2015

“É sobre a nossa capacidade de nos indignarmos! Em última análise, é sobre a nossa possibilidade de voltar a ter esperança… É simples assim!”

Lucca, amanhã iremos para a rua protestar! Pelo que temos conversado, sei que você entende as razões. Mas quero te contar mais algumas coisinhas para aumentar um pouco os insumos para as suas próprias reflexões.

Amanhã, não iremos fazer campanha pra nenhum partido político. Esqueça essa conversa da militância do PT, onde só há “vermelhos” x “tucanos”. Não caia nessa esparrela. Amanhã seremos, acima de tudo, VERDES E AMARELOS. Iremos às ruas gritar que DEU! Chega, ninguém aguenta mais a incoerência, a roubalheira e a cara de pau desses caras que estão no poder! Não vamos defender partidos. Vamos defender nosso direito de um futuro melhor e livres dessa corja.

Não, Lucca, também não vamos pedir impeachment, algo que embora improvável, é, sim, um instrumento válido da democracia, por mais que os militantes do poder digam que isso é golpe (aliás, acho que vc já aprendeu que tudo que essa turma diz, só pode ser recebido como piada… dois neurônios bastam pra perceber a brutal incoerência em tudo que sai de lá). Amanhã vamos apenas sinalizar que como está, não continua. Que não toleramos mais ralar feito malucos para que essa corja se refestele com o fruto do nosso trabalho. Vamos gritar à essa presidente incoerente, mentirosa e incompetente, que tá na hora de ela se coçar.

Não compre essa conversinha ignóbil de “porque eu não vou pra rua” que tá circulando em certas timelines. Quem não vai pra rua é conivente! Ponto final! Quando você abre mão do seu direito de lutar pelo que acredita, vira refém! Lembre-se sempre: pense pela sua cabeça, oriente-se pelas suas ideias. Não repita ideias de outros feito papagaio desinformado ou marionete.

Por fim, orgulhe-se, e muito, do que iremos fazer amanhã. Em 10 ou 15 anos, você poderá, ao olhar para trás, encher o peito dizer: “eu ajudei a protestar contra aquela quadrilha nefasta que se apoderou do meu País; eu ajudei a mudar o Brasil; eu contribui para defenestrar aquela raça do poder e colocá-la nos livros de história; e, quem sabe, poderá dizer um dia aos seus filhos (e meus netos) que você fez a sua parte para deixar um mundo melhor para eles.

Amanhã, o que está em jogo não tem nada a ver com partidos políticos, sistemas de governo, ricos x pobres, coxinhas x proletariado, ou qualquer dessas baboseiras propagadas por aquela turma. Amanhã, o que está em jogo é vergonha na cara!!!!! É caráter!!!!!!! É nosso direito à cidadania! É a capacidade de entender a realidade e, legitimamente, se revoltar contra pessoas que se julgam acima do bem e do mal e usam artifícios como mentira, dissimulação e manipulação como se isso fosse natural! É sobre a nossa capacidade de nos indignarmos! Em última análise, é sobre a nossa possibilidade de voltar a ter esperança…

É simples assim!

Ver Comentários

Uma resposta para “De pai para filho: porque iremos para a rua amanhã”

  1. Cursos Online disse:

    Olá aqui é a Vanessa Silva, eu gostei muito do seu artigo seu conteúdo vem me ajudando bastante, muito obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Allan Costa
(41) 99878-5055
contato@allancosta.com