Aprendendo a aprender: 5 passos fundamentais

 / 25.08.2020

“O analfabeto do século XXI não será aquele que não consegue ler e escrever, mas aquele que não consegue aprender, desaprender e reaprender”, Alvin Toffler.

Alvin Toffler, futurista e pensador da tecnologia que ficou famoso por livros como Future Shock e The Third Wave, teria dito que “O analfabeto do século XXI não será aquele que não consegue ler e escrever, mas aquele que não consegue aprender, desaprender e reaprender

Há algumas décadas, a vida costumava ser mais linear do que é hoje. As indústrias eram mais bem limitadas e as carreiras, mais previsíveis. A história mudou. Competidores surgem dos mais diferentes lugares e novas tecnologias e ferramentas são lançadas todos os dias.

Nesse novo mundo, a postura mais produtiva é a de humildade e a de aprendizado constante.

O ponto é que, nas escolas e faculdades, não fomos treinados para nada disso. Recebemos respostas simples demais para perguntas que não trouxeram a complexidade do cenário em que estamos. Boa parte do ensino é baseado em decorar conceitos.

É difícil conectar muito daquilo que aprendemos com a realidade.Porque o mundo real, os mercados e nossas carreiras são a antítese de tudo isso.

As perguntas e respostas muitas vezes não são tão claras assim. O aprendizado tem muito mais a ver com tentativa e erro, e, não raro, a lição vem realmente quando quebramos a cara. Então, como aprender?

Há 5 passos fundamentais, não importa se você está envolvido com conteúdos de escrita criativa, de marketing digital ou de gestão.

O PRIMEIRO passo é estudar os fundamentos daquilo que você está tentando entender. Na ansiedade, nos interessamos por detalhes específicos de uma determinada área antes mesmo de ter os fundamentos bem sedimentados em nossa cabeça.

Um exemplo que adoro para reforçar essa ideia é o de LeBron James, um dos maiores jogadores de basquete de todos os tempos e uma das maiores estrelas da NBA já há mais de 15 anos. Em um determinado momento da carreira, LeBron percebeu que seu footwork (jogo de pés) poderia ser melhor. Para isso, pediu ajuda para Hakeem Olajuwon, uma estrela da NBA nos anos 90 conhecido por dominar o estilo. Nas sessões de treino, não havia grandes truques, nem movimentos extravagantes. O que LeBron fez foi se dedicar aos fundamentos, repetindo à exaustão o que era simples e básico. Se você quiser assistir a essas sessões entre LeBron e Olajuwon e entender melhor do que estou falando, clique aqui.

A SEGUNDA premissa, por vezes esquecida, está ligada ao passo que expliquei acima: humildade. Trazendo novamente o exemplo do basquete, em 2011, LeBron James já era um dos jogadores mais dominantes da NBA. Mesmo assim, conseguiu perceber que havia aspectos em seu jogo que poderiam ser aprimorados.

O TERCEIRO passo é procurar boas referências. De nada adianta aprender algo novo se as referências que você está consumindo são ruins, ou se são pessoas que jamais estiveram onde você quer chegar. Nossa mente é como nosso corpo. Você não pode querer ter um bom condicionamento físico se consome apenas comidas gordurosas e não tem uma alimentação balanceada. Da mesma forma, não há como ter um bom processo de aprendizado se as referências buscadas são fracas e rasas.

O QUARTO é mentores. Dê sempre preferência a quem que já atingiu aquilo que você tem como meta, e que já experimentaram um processo de aprendizado parecido.

Por fim, o QUINTO é: colocar em prática. Ler e discutir teorias e conceitos é muito legal, mas colocá-los em prática é poderoso. A vivência mostrará perspectivas que nenhum livro será capaz de explicar.

Comece com projetos paralelos pequenos, que permitam a você agir segundo os fundamentos daquilo que você vem estudando.

Com a humildade para continuar aprendendo, sempre lapidando a busca por boas referências e ouvindo bons mentores.

Ver Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Allan Costa
(41) 99878-5055
contato@allancosta.com