A Economia dos Criadores: O Bom, O Mau, e o Feio

 / 21.09.2022

Ao longo dos últimos 15 anos vimos a ascensão da Economia dos Criadores. Se você ainda não conhece o termo, ele se refere à economia que nasce a partir dos criadores de conteúdo.

Nas últimas décadas, tivemos o crescimento absurdo de plataformas que possibilitam que qualquer pessoa crie e compartilhe conteúdo, como Instagram, YouTube e TikTok, e que usuários monetizem conteúdos, como Hotmart.

Na minha visão, toda essa história de Economia dos Criadores está apenas começando.

As plataformas ficarão ainda melhores e as audiências irão crescer ainda mais. Todo este ecossistema provavelmente crescerá e irá atingir centenas e centenas de bilhões de dólares.

Contudo, isso não significa que tudo são flores. A Economia dos Criadores traz diversas oportunidades, mas também muitos desafios.

As oportunidades são bastante claras: pessoas que antes não tinham uma voz agora podem expressá-la nas redes; ou, por exemplo, usuários podem monetizar suas habilidades ou conhecimento sem a necessidade de diversos intermediários.

Além disso, existe todo um ecossistema de ferramentas e novos empregos que são gerados a partir destas oportunidades.

Ferramentas de edição de conteúdo e profissionais de lançamentos de produtos digitais, por exemplo, estão entre as oportunidades adjacentes que nascem a partir desta nova economia.

Com novas tecnologias que irão crescer bastante nos próximos anos, como tokens e blockchain, o que conhecemos hoje de Economia dos Criadores parecerá brincadeira de criança perto do que está por vir. Toda uma nova forma de monetização e relacionamento de criadores com fãs irá surgir. Fãs não serão mais apenas fãs. Eles se tornarão parte de uma comunidade que ajuda os criadores na construção de produtos.

E é claro, toda nova grande oportunidade traz muitos novos desafios.

Pense em todos os desafios trazidos pelas mídias sociais que não existiam há 20 anos, por exemplo.

E a Economia dos Criadores traz diversos desafios para os usuários. Se agora qualquer um pode ser um criador, isto é ótimo, porque todo mundo tem uma voz. E isso pode ser um perigo, justamente pelo mesmo motivo.

Separar o que realmente tem valor e o que é fumaça tem ficado cada vez mais difícil. E vai ficar cada vez mais. Se hoje temos empreendedores de palco e pessoas vendendo ideias sobre algo que nunca construíram, pense que isso provavelmente irá aumentar em 10x ao longo dos próximos anos.

Como todo novo desafio traz também oportunidades, saber como separar o que é sinal do que é ruído se tornará não apenas uma habilidade cada vez mais poderosa e importante, mas também uma grande oportunidade para a construção de tecnologias e ferramentas que ajudem nesta curadoria.

Mesmo com críticas sob alguns aspectos, devo dizer que sou um grande fã e otimista com a Economia dos Criadores. Hoje, muitos criadores já são muito mais poderosos do que marcas inteiras. E isso só irá se intensificar nos próximos 10 anos.

Ver Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Allan Costa
(41) 99878-5055
contato@allancosta.com